quarta-feira, julho 25, 2007

Susana Barbosa é candidata à liderança do PND

Perante a demissão do presidente do PND – Partido da Nova Democracia, Dr. Manuel Monteiro, apresentada no passado sábado ao Conselho Geral do partido e aos meios de comunicação social, e perante o apelo do presidente e de outros conselheiros à renovação do partido e ao aparecimento de caras novas, a Dr.ª Susana Barbosa, Coordenadora distrital de Aveiro do PND, decidiu apresentar a sua candidatura à liderança do partido.
Após os maus resultados eleitorais obtidos pelo PND nas últimas eleições intercalares à Câmara Municipal de Lisboa, e o conhecimento público da demissão do Dr. Manuel Monteiro, a Dr.ª Susana Barbosa tem sido contactada por dirigentes e militantes do PND de todo o país, apelando à sua candidatura para a continuidade do projecto.
Face a um cenário de extinção do PND, Susana Barbosa afirma a sua convicção no projecto, quer seja com a continuidade e disponibilidade para o partido, de Manuel Monteiro, tal como o próprio a defendeu no Conselho Geral, ou não. Afirma ainda que um partido não pode depender apenas do líder, e que quando assim acontece, é porque não existe um projecto sólido e consistente.
Susana Barbosa, está segura de que o PND constitui um projecto válido para Portugal, e que face à actual conjuntura da direita, ao contrário do que muitos já vaticinam, o PND não vai morrer, acreditando mesmo que para além da sua candidatura, outras irão surgir no seio do partido.
Para Susana Barbosa, é urgente a refundação do PND, quer em termos ideológicos quer em termos de implantação política nacional. «O partido tem vindo a decrescer em termos de implantação, nos principais distritos do país, Lisboa e Porto, mantendo-se vivo e activo apenas nos distritos de Aveiro e Braga. Ora, não é possível continuar a construir partido apenas com o trabalho de dois distritos, conforme tenho vindo a chamar à atenção há muito tempo. Há um grande trabalho de fundo a fazer na organização e implantação política do PND a nível nacional» afirma ainda.
Susana Barbosa acredita que os actuais líderes da direita estão esgotados e que «é necessário que surjam com urgência alternativas, sob pena de continuarmos a ter em Portugal um défice cada vez maior na direita, que se traduz numa oposição frágil e desconcertada, num momento de crise nacional profunda difícil de ultrapassar, gerada pelos sucessivos governos de centro esquerda».
Susana Barbosa, pretende espelhar a nível nacional o trabalho que tem vindo a desenvolver no distrito de Aveiro, afirmando que um pequeno partido jamais conseguirá afirmar-se, se em primeiro lugar não criar sustentação nas bases. «Não há notoriedade, nem mediatização, nem luzes da ribalta que nos valham, se não cativarmos militância» afirma.
Consciente das dificuldades acrescidas que terá de enfrentar depois do mau resultado das últimas eleições, Susana Barbosa conta com o apoio de todos os que acreditam na continuidade do PND e na necessidade de refundar o partido para a construção de uma «Nova Direita», forte, genuína, solidária, dinâmica, e com uma «nova atitude».
Susana Barbosa, apresenta a sua candidatura, segura de que muitos desafios e hostilizações a esperam, e de que à partida o facto de ser a primeira e única mulher em Portugal a candidatar-se à liderança de um partido político, já constitui uma marca da diferença que pretende assumir, assim como o facto de não ter receios da sua falta de notoriedade nacional, assumindo-a como uma mais-valia junto dos eleitores cansados da velha política e dos políticos que mesmo ainda novos, já são velhos no sistema.
«O PND terá de se afirmar o partido da direita ideológica, hoje extinta no panorama político nacional. Terá de regressar às origens, à defesa de tudo o que é natural, contra o sistema e contra a utopia do socialismo e do capitalismo selvagem. O PND terá de ter a coragem de defender os interesses nacionais sem preconceitos, e o combate e as formas como se traduzirá esse combate, têm de ser claros, simples e sinceros, porque não tendo comunhão alguma com os poderes instituídos, o PND nada terá a perder, e muito terá a construir por Portugal» conclui Susana Barbosa.
(publicado na edição de hoje do Democracia Liberal, e em versão adaptada na edição de hoje do Diário de Aveiro)

6 Comments:

At 2:36 da tarde, Blogger PintoRibeiro said...

Agora sou eu que tenho de falar contigo. Deixa-me por favor um contacto.
Boa tarde Susana e um bjinho.

 
At 3:11 da tarde, Blogger Susana Barbosa said...

Sérgio,

O meu email: saab@netcabo.pt

 
At 7:29 da tarde, Blogger noticiasd'aldeia said...

A demissão de MM é a consequência de os portugueses se não reverem no projecto. Do que, para além da questão da liderança, fica para resolver o mais difícil. Fazer acreditar de que valerá a pena.
Cpts

 
At 7:57 da tarde, Blogger PintoRibeiro said...

Deixei lá um post com ideias dispersas, a calhar, acho.

 
At 4:08 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Parabéns, e mto boa sorte.
Como sabe,eu nunca o escondi que a Susana tem todo o meu apoio. Finalmente apareceu alguem sem medo de falar e a tratar as coisa pelo nome.
Era bom é que houvesse mais Susana´s.
Susana boa sorte,força vamos em frente,nós conseguimos.
viva Portugal!!!
viva o PND!!!

RUI PIRES DA SILVA

 
At 12:37 da manhã, Blogger Susana Barbosa said...

Maria da Fonte, eu sei que você é a Júlia! Lamento muito este, e todos os outros comentários anónimos que por aqui vai deixando... não descarregue em mim os seus recalcamentos. De resto, o futuro o dirá!

 

Enviar um comentário

<< Home