sábado, outubro 27, 2007

Notícia

Susana Barbosa diz que jornal do partido é faccioso

PND/Aveiro acusa direcção de censura

Com a devida vénia ao
Diário de Aveiro


A Distrital do Partido da Nova Democracia (PND) de Aveiro, liderada por Susana Barbosa, considera que «definitivamente o partido passou à “fase da censura” por parte de quem ainda detém o poder, e que de futuro só verá naquele jornal [o Democracia Liberal – Jornal da Nova Democracia], que é pertença do partido e por conseguinte de todos os militantes, publicadas notícias e artigos que sirvam apenas e facciosamente a “alguns”, sendo tudo o que não interessa a estes considerado lixo, como afirmou o director João Carvalho Fernandes».

Susana Barbosa tem em curso um projecto de candidatura à liderança do partido, quando o PND se encontra com o seu presidente, Manuel Monteiro, demissionário, enquanto se mantém um diferendo entre os dois por causa de um processo de expulsão de militantes conotados com a facção nacionalista. O Diário de Aveiro tentou, sem sucesso, uma reacção de Manuel Monteiro.

Susana Barbosa dá o exemplo da recusa da divulgação de um artigo do semanário Sol e uma resposta da publicação oficial do PND: «Quem não estiver contente, que se queixe ao representante do dono do jornal: Direcção»; além de «queixas por parte de vários militantes que têm visto os seus artigos censurados, ou mesmo não publicados, assim como vedada a publicação habitual de acções, naquele órgão oficial do partido». Contudo, no site do Democracia Liberal – Jornal da Nova Democracia é possível aceder tanto à notícia do Sol como a outras intervenções críticas à direcção do partido, através da ligação ao site da distrital de Aveiro.

15 Comments:

At 8:18 da manhã, Anonymous Ceboleiro said...

Quanto á aplicação do critério LIXO julgo deveras interessante e defensável.
O critério deveria ser extensivel á imprensa nacional.
Já agora, os seus anteriores artigos, dedicados a Aveiro, onde se transcreviam poesias e se falava da história da nossa cidade tinham o seu que.
É por demais evidente, que verificou-se uma alteração radical do conteúdo deste blog. Para pior. Muito pior.
Aveiro, cidade desapareceu e passou a ser referenciada de forma marginal, como núcleo de oposição partidária.
Não faça isso. Ou não deixe que outros o façam por si.
É que, da pura análise gramatical e de conteúdo resulta que os redactores destes textos não são quem os assina.
Repare que isto não interessa a ninguém, a não ser a alguns «ceboleiros», como eu, que visitava o blog à procura de uma janela para a minha cidade.

 
At 12:53 da tarde, Blogger PintoRibeiro said...

Anda aí mta coisa. Anda, anda.
Bom domingo, boa semana, bjinho.

 
At 4:04 da tarde, Blogger hora tardia said...

se Tu o dizes...:)



posso votar em Ti?

voto.



muito.


beijos.

 
At 6:17 da tarde, Blogger Abrantes said...

Pois é… Drª Susana Barbosa
Para alguns energúmenos devia escrever baboseiras sobre os passarinhos ou as lindas flores das primaveras floridas.
Assim é que era uma “menina bonita”. Que por acaso até é…. Não desfazendo de ninguém.
Enfrentar a bagunça da politica actual é coisa só para entendidos e iluminados.
Escreva lá sobre a linda zona de Aveiro, como o quer o comentador “ceboleiro”, e deixe a política para os políticos. Onde que eu, já, ouvi isto ?
Ai. Espere aí! A senhora é candidata à liderança de um partido político. Um partido que luta por uma “Nova Democracia” e uma nova forma de fazer e de estar na política. Uma nova praxis política.
Então está certo! Defenda lá esses princípios que assim defende Aveiro. E, como pretende ser líder de um partido a nível Nacional, eu – alentejano residente no deserto da margem-sul – aproveito a boleia. Eu e mais uns míseros milhõeszecos de portugueses.
Manuel Abrantes

 
At 6:23 da tarde, Blogger Abrantes said...

Espere! Espere!
Só mais uma coisa. E eu que vivo no deserto sei isso:
- OS CAMELOS NÃO VOTAM EM SI!!!
Manuel Abrantes

 
At 12:57 da manhã, Blogger Isabel said...

Parabéns pela sua luta.
Eram precisas muitas Susanas Barbosa espalhadas por este País.
Boa semana.

Bjt

 
At 9:25 da tarde, Anonymous Eh, Eh said...

Não resisto. Como sabe que os camelos não votam? Eu diria que o grande problema de Portugal é, efectivamente,que os camelos também votam.
Razão tinha Salazar, pelo menos, com um partido não havia o risco de errar.

 
At 9:26 da tarde, Anonymous Eh, Eh said...

com um partido UNICO

 
At 11:14 da manhã, Blogger Abrantes said...

Pois! Esse foi o erro de Salazar.
Não soube compreender que, depois da 2ª Guerra Mundial, o seu papel como estadista tinha terminado.
Devia ter assumido que tinha cumprido a sua função histórica e, paulatinamente, retirava-se para Santa Comba para ir tratar das galinhas. Coisa que tanto gostava de fazer.
Manuel Abrantes

 
At 1:23 da tarde, Anonymous Um Fã said...

Eu costumo visitar o seu blog Susana. Sempre gostei dos seus textos sobre a cidade. Das imagens que oartilhava conosco, e que é verdade, podiam retratar passarinhos e flores. Mas mostram a sensibilibdade e o bom gosto da sua autora.
Agora, chamar-lhe baboseiras parece-me pouco cavalheiresco.
Acredite Susana, o seu trabalho sobre a cidade é notável, não é nenuma baboseira.
Fique bem.

 
At 5:54 da tarde, Blogger Abrantes said...

As "baboseiras" - srª fã - é em sentido figurativo.
E nunca - jamais!! - num sentido pejorativo.
MA

 
At 7:49 da tarde, Anonymous Eh Eh said...

O sr. Abrantes sabe quem foi Salazar?
Conhece o projecto politico que tinha para Portugal?
Retirar-se... como? se ainda nos presentou, a partir, de 1945 com tantas atitudes patrióticas?
Franco Nogueira, só, e sem condições logisticas, defendia Portugal na ONU, sem medo e com muita muita inteligência.
Informe-se que vai perceber a diferença entre o que é ser Português e dedicar a vida a um projecto para Portugal,e ser Português e não ter nada para propor.
Sr. Abrantes seja mais criterioso e mais sério nas suas criticas. E já agora critique menos e faça mais.
Proponha qualquer coisa. Uma que seja.

 
At 10:35 da tarde, Blogger Abrantes said...

Sr (a) eh eh- Que raio de nome.
Se eu sei quem foi Salazar ?
Fui um dos seus seguidores e um dos seus críticos.
Respeito a figura do estadista, mas não quer dizer que tenha aceitado todas as suas políticas.
Critiquei-as no tempo e nos lugares próprios. O que digo e escrevo hoje – no blogue www.estadonovo.blogspot.com - é o mesmo que disse em 1968 a 1974. E tudo o que critiquei, critiquei publicamente e na presença de plateias seguidoras do regime. Nem nunca fui preso nem, nunca, tive problemas com isso.
Se ler a edição de hoje ( 31/10/07) no blogue “Estado Novo” pode ler a mesma critica que fiz à policia politica de então - penso que em Maio de 1972 - perante uma assembleia com mais de 800 pessoas no velho cinema S. Jorge. A esmagadora maioria dos presentes eram agentes da DGS.
Salazar deve ser respeitado mas, jamais, idolatrado. Nem ele o queria !
Não tenho pejo nenhum em gritar “Viva Salazar” numas coisas e gritar “Abaixo Salazar” noutras.
E a isto não se chama. “salazarismo”, porque essa palavra não exista. Salazar não deixou nenhuma ideologia. Não há a ideologia “salazarista”.
E já que fala em propor, eu proponho : - A implantação da nova linha politica Nacionalista, da qual sou seguidor e defensor .
Manuel Abrantes

 
At 9:41 da manhã, Anonymous Eh Eh said...

Mas em que traduz «uma nova linha politica nacionalista?». Qual o seu conteúdo.´
É que nacionalistas somos quase todos.

 
At 11:16 da manhã, Blogger Abrantes said...

Sr eh eh
Por respeito à autora deste blogue, penso que este não é o espaço indicado para se discutir o Nacionalismo como filosofia e pensamento político.
Mas estou aberto noutros espaços cibernéticos, como no blogue "Estado Novo".
São espaços que se assumem como Nacionalistas e, por isso, completamente abertos à discussão sobre o tema tema.
Manuel Abrantes

 

Enviar um comentário

<< Home