domingo, outubro 21, 2007

Notícia

Guerra aberta no PND

Partido dividido entre Monteiro e nacionalistas

Com a devida vénia ao
SOL

Pedro Guerreiro
Margarida Davim

OS MILITANTES nacionalistas do Partido da Nova Democracia (PND), liderado por Manuel Monteiro, ameaçam «recorrer aos tribunais» contra o que entendem ser uma «inadmissível limitação de direitos civis», disse ao SOL José Manuel Castro.

Castro – que além de militante da Nova Democracia, é líder do recém-criado Movimento Nacionalista e advogado do skinhead Mário Machado – reagia assim ao anúncio feito por Monteiro de que a direcção do PND analisaria «ficha a ficha» todos os militantes para expulsar quem tivesse pertencido ao nacionalista PNR.

Também Emanuel Guerreiro – ex-PNR afastado por Manuel Monteiro da liderança da distrital das Novas Gerações de Lisboa – quer «recorrer ao Tribunal Constitucional em caso de expulsão», disse ao SOL, anunciando a intenção de apresentar uma queixa por difamação contra o actual líder da juventude partidária.

Cresce oposição interna

A reacção de Manuel Monteiro à entrada de nacionalistas no Partido da Nova Democracia fez subir o tom da contestação à sua liderança.

Susana Barbosa, líder da distrital de Aveiro do PND, acusa Monteiro de promover uma «caça às bruxas» e de deixar o partido «refém da sua indecisão» quanto ao futuro da liderança, após a derrota nas eleições intercalares autárquicas de Lisboa.

«Uma reflexão que já leva três meses é incomportável para qualquer partido», critica a dirigente, que diz não compreender o que levou Manuel Monteiro a adiar por duas vezes a realização de um Conselho Geral.

A militante – que pretende disputar o lugar de Monteiro, e conta com o apoio do sector nacionalista – diz-se «totalmente contra» a prometida expulsão do PND de membros com ligações a movimentos nacionalistas, anunciadas na semana passada por Manuel Monteiro ao SOL.

Susana Barbosa relativiza o passado dos elementos que vieram do Partido Nacional Renovador. «Se se filiaram no PND é porque não concordavam com o PNR, que não deixa de ser um partido democrático», afirma a empresária de 43 anos e antiga aluna de Manuel Monteiro.

Com um clima interno cada vez mais hostil, o líder da Nova Democracia prefere remeter-se ao silêncio «para não alimentar folhetins».

Manuel Monteiro refere-se mesmo aos seus opositores como «meia dúzia de gatos pingados» aos quais não pretende dar importância.

20 OUTUBRO 2007

11 Comments:

At 3:14 da tarde, Blogger PintoRibeiro said...

O Monteiro não é nacionalista? Lololol. Isto anda tudo doido.
Boa semana, bjinho,

 
At 3:14 da tarde, Blogger PintoRibeiro said...

Força!!!

 
At 11:34 da tarde, Anonymous Anónimo said...

"Gatos pingados?"
Para além da "elegância"do estilo,é sempre prenúncio do funeral de alguém...
Sardoal

 
At 11:52 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Agora mais a sério (deixemo-nos de funerais politicos...):
Julgo ser o PND um partido democrático.
Nesse contexto a autora deste blog tem óbviamente todo o direito de assumir as suas divergências com a Direcção e candidatar-se ela própria.
O que me surpreendeu foi a reacção despropositada do que suponho ser o aparelho do Dr.Manuel Monteiro.
O discurso "antifascista e patriótico"-a que nem faltou a evocação de La Pasionária!-algo caricato num partido que se diz de direita democrática,e,porque não dizê-lo,o desnorte demonstrado,em vez do tacto,são,creio,sinais de uma inabilidade politica que me surpreendeu.
Esta é a minha opinião democrática e livremente expressa.
E agora "alea jacta est..."
Sardoal

 
At 9:05 da manhã, Anonymous O Observador said...

«Gatos pingados». Parece-me bem. O PND é o que? O Monteiro. E de resto, eu que leio jornais, e vejo TV nunca ouvi falar de mais ninguem.
Claro que há agora esta tentativa da extrema direita, noticiada nos jornais, - quais nacionalistas, quais que (nacionalistas somos todos, a começar no Mourinho)- de atacar de forma amadora este PND, que ninguém conhece.
Até pode ser bom, porque a seguir é levar a questão ao tribunal e fazer aplicar a CRP, na proibição de existencia de organizações de extrema direita. E lá se vai o PND.
Entretanto aguardamos a extinção do PNR. Haja paciência.
E parabéns SBARBOSA. É brilhante. Preparou a comissão liquidatária do pnd. Grande favor à democracia.
«Votem na Barbosa para por fim a esta prosa!»

 
At 5:23 da tarde, Anonymous Anónimo said...

"Levar o PNd ao TC para extinguilo porque é de extrema -direita"é mais ou menos a ideia doutamente explanada pelo ilustre antecessor antifascista e patriota,certamente muito frequentador das "faculdades" televisivas onde adquiriu tão sólidos conhecimentos,especialmente na cadeira "telejornais",onde aprendeu vastas noções de não constitucionalidade.
Uma coisa que sempre me fez confusão é ver criaturas falarem de matérias de que são perfeitamete ignorantes,botar palavra disparate a disparate,com o ar mais cândido e convencido do mundo.
Como em geral falam para criaturas tão ignorantes como eles,estabelece-se um interessante diáloga de estúpidos,qual concurso de obtusos.
Antigamente,dizia-se de certos especimens destes que quando abrem a boca ou entra mosca ou sai asneira...

 
At 7:18 da tarde, Blogger isabel mendes ferreira said...

beijo.


__________________


força avassaladora!


____________________.

 
At 10:49 da tarde, Blogger Nacional Integralista said...

O melhor é acabarem com o PND e ,todos juntos, ajudarmos no arranque do Movimento Nacionalista.

 
At 1:34 da manhã, Anonymous Rui Pires da Silva said...

Cara Dr.ª Susana Barbosa, como já deve saber, eu tenho um informador/investigador secreto, não, não tenho o SIS a trabalhar para mim, é o meu amigo, “ O Passarinho”.
Hoje de manhã, dei ao Passarinho uma missão muito importante.
«Vais imediatamente para Lisboa e vais investigar os Jornais semanários», disse eu ao Passarinho. E ele lá foi, voando, voando, voando.
(6 horas depois ao telefone com o passarinho)
Puup, puup, puup, «tá sim», responde o passarinho do outro lado da “linha”, «sim pássaro, sou eu, não vês o número?», «desculpa, mas é que no meu do lixo, não ouvi o telemóvel», responde o pássaro num um barulho de “fundo” estranho. «Lixo? Mas qual lixo? Eu mandei-te investigar os jornais», «eu sei patrão, mas através das escutas, eu fiquei a saber que as notícias de um certo semanário, são lixo, logo, eu estou no lixo».
(continua….)
Quem será que o passarinho apanhou nas escutas? E de que jornal estava ele a falar?
Não percas o próximo episódio, porque nos também não.

 
At 10:38 da manhã, Blogger sonia r. said...

Se calhar é mesmo altura de fechar todos e abrir um novo de raíz.
Boa semana Susana.
Bjinho.

 
At 10:54 da tarde, Blogger Abrantes said...

Claro!
È necessário dar impulso a uma Nova Democracia.
Partido, homens e mulheres já há. Só resta avançar e querer.

 

Enviar um comentário

<< Home