quarta-feira, agosto 01, 2007

Sever do Vouga – Um concelho de Se Ver

Já é Agosto. Estão aí as férias e há que tirar partido do Verão, que de descanso a sério nem sempre é possível desfrutar. Hoje venho trazer uma sugestão, uma rota e um destino que vale a pena descobrir, ou talvez seja o caso, redescobrir. «Sever do Vouga», um concelho de e para «Se Ver».

Bem sei que todos somos duvidosos, quando tecemos elogios ao que é nosso, mas neste caso particular, creio que não vou deixar ninguém «ficar mal». Por vezes procuramos destinos longínquos, na ânsia de encontrar a raridade duma beleza especial, o refrescamento de algo exótico, a cultura de outros povos, ou pelas mais variadíssimas razões, quando mesmo ao nosso lado existe tanto para explorar. E infelizmente, os portugueses por vezes refugiam-se em destinos internacionais, sem mesmo antes terem descoberto o seu país.

Sever do Vouga, aqui tão perto, é um concelho de eleição para passar férias. Para quem apreciar serra e rio, este será um destino ideal. A cerca de 40 km de Aveiro, com boas acessibilidades, Sever do Vouga dispõe de um bom serviço de restaurantes, tanto na própria vila de Sever, como um pouco por todas as freguesias que a circundam. A excelente gastronomia da região, assente em pratos tradicionais tão típicos como a vitela assada ou os rojões à moda Severense, fazem as delícias dos turistas que visitam o concelho.

Um concelho em tons de verde, desde as águas profundas do rio Vouga, envolvido por magníficas paisagens proporcionadas pelo grandioso Vale do Vouga, até à mais alta serra do concelho, a serra do Arestal, cria-nos um refrescamento e um bem-estar nem sempre possíveis em qualquer lado. O turismo radical, também consta deste roteiro nas imensas valias que nos oferece a descida do rio, nas escaladas de montanha, ou por exemplo nos percursos pedestres organizados pela Câmara Municipal, na rota dos moinhos, ou ainda na rota do linho.

A par da extraordinária natureza de Sever do Vouga, e da gastronomia, é riquíssimo o património artístico e cultural do concelho, traduzido nas belas igrejas seculares, nos pelourinhos, nas pontes (a destacar a ponte do Poço de Santiago e a ponte de Pessegueiro), sentindo-se ainda a presença do homem desde a pré-história. Muitos dólmens, com destaque para o da Cerqueira, em Couto de Esteves, as gravuras rupestres do Forno dos Mouros, e a via romana, em Ereira, fazem ainda parte deste património.

Nos sites da Rota da Luz, http://www.rotadaluz.pt/, ou da Câmara Municipal de Sever do Vouga, http://www.cm-sever.pt/, poderá ainda dispor de informações detalhadas e ajustar uma visita ao nosso concelho de acordo com as disponibilidades e preferências de lazer.

«Vá para fora cá dentro», é pois uma sugestão válida para qualquer um, que pode também ser uma aventura muito aliciante, ainda mais nos tempos que correm, para todos os que não têm possibilidades de escolher no estrangeiro destinos turísticos. Desfrute e partilhe no nosso país as maravilhas que o turismo nacional tem para nos oferecer e enriqueça também o seu conhecimento histórico da cultura que nos une.

(publicado nas edições de hoje do Diário de Aveiro e do Democracia Liberal)

6 Comments:

At 8:27 da manhã, Blogger hfm said...

Haverá alguma sugestão de sítios onde ficar? Obrigada pela dica, vou sempre nestes paraísos que se encontram no nosso país. Ainda me lembro do deslumbramento quando vi o cadeiral da mosteiro de Arouca e estou sempre a citá-lo a amigos meus franceses quando me levam a ver os belos cadeirais das suas catedrais. Temos de preservar o nosso património, é ele que nos conta. Um beijo

 
At 10:50 da manhã, Blogger PintoRibeiro said...

Até ver...
Bjinho, bom dia Susana,

 
At 3:14 da tarde, Blogger isabel mendes ferreira said...

obrigada. Su. muito.



boas férias.




beijo.

 
At 8:12 da tarde, Blogger Terra & Sal said...

Minha querida Amiga:
Mais uma vez oferece-nos um texto maravilhoso. Gostei da maneira como destacou Sever do Vouga, as suas freguesias e lugares. Em nada exagerou, é mesmo uma terra maravilhosa eu testemunho isso.

Sever do Vouga oferece-nos tudo o que podemos desejar e exigir. A sua culinária tenta um frade de pés descalços, ou calçados. Mas mesmo para aqueles que não pecam pela gula, têm ali alternativas de vivência e prazer, que são uma delícia. Um sonho !

Conheço bem a região. Vou lá muitas vezes, e tenho sempre de lá comer. Vivo com a minha alma em estado de Graça, mas um dia ela vai ser avaliada e penalizada, pela barriga. Para mim tudo é pretexto para ir comer vitela, que adoro. E no principio do ano tenho de comer por tabela duas vezes lampreia, às vezes chego à terceira vez. Uma das vezes tem de ser obrigatoriamente em Sever, a outra, em Monção, e quando há uma terceira vez, só por convite, e já sei, sou sempre convidado para Sever. Uma perdição a sua santa terra. Só espero que Deus seja justo e não seja como o rato que temos cá em Aveiro, que aos olhos e consciência dele, tudo são infracções graves.

Bem, tenho amigos estrangeiros que têm casa em Garcês, vêm cá amiudadas vezes, adoram aquilo, e por isso vou também muitas vezes ali, e fora do Verão é ainda mais paradisíaco.
O almoço vai cá de cima lá para baixo por carreirinhos, e vamos a pé até á praia fluvial do Alfusqueiro. Aquilo é um sossego.
Uma maravilha, um autentico oásis. Bem, no fim é que me custa vir a pé até cá cima, uns 500m metros, não sei, mas para baixo sabe como é, todos os santos ajudam.

O Presidente da Câmara parece-me ser uma pessoa muito interessada, tudo indica isso.
Sei é dizer que aquilo está lindo de morrer, um sossego, sentimo-nos mesmo transportados para fora deste mundo conspurcado. Andavam lá com obras, parece-me que a fazer balneários, havia muita harmonia no traçado, já devem estar prontas.
De boa vontade ficava com aquele ex-aviário, penso, ali mesmo ao fundo, quase junto ao rio.
Fazia ali uma pousada serena e harmoniosa com todo o meio ambiente, seria só para os amigos e amigas, que para mim, são como os anjos, e merecem o melhor..

Mas é como diz, e disse-o de uma forma benevolente:
As pessoas não conhecem a beleza e os lugares da zona onde vivem, e morrem sem os conhecerem.
Mas a maioria vai para o estrangeiro gastar o que não tem, mas é sempre fino dizer à mesa do café que estiveram em Cuba, no México, ou no Brasil, de que nada ficam a conhecer…
Mas enfim, é a nossa mentalidade de gente pobre, com hábitos de pagar durante um ano aos nababos dos banqueiros, umas férias de 7 dias, num ambiente de outros coitados, novos ricos.
Beijinhos para si.

 
At 2:04 da tarde, Blogger Vougario said...

Muitos parabéns.
Como sempre, continua a encantar-nos com os seus artigos.
Sever do Vouga como sabe é um concelho humilde do distrito de Aveiro, com cerca de 13.000 habitantes.
A paisagem natural deste concelho é uma das principais características de encantamento de quem o visita, para tal temos: miradouros, praia fluvial, cascata da cabreia, entre muitos outros que temos para descobrir.
É mesmo caso para afirmar que Sever do Vouga é mesmo um concelho de se ver.
Uma vez mais parabéns pelo artigo.
Abraço amigo

Rui Pires da Silva

 
At 6:49 da tarde, Blogger Susana Barbosa said...

Helena, tens o Hotel Residêncial "O Cortiço" mesmo na vila em Sever do Vouga e há também várias casas de "turismo rural" muito interessantes se for a teu gosto, por exemplo a Casa D`Aldeia! Podes consultar o site da Rota da Luz, estão lá os contactos.
Agora, vá lá... pés ao caminho!

 

Enviar um comentário

<< Home