quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Relatos das urgências reais

Como pode Correia de Campos assegurar a criação de 42 Unidades Básicas de Urgência, que figuram na “Nova Rede de Urgências”, distribuídas pelo interior do país, se todos sabemos que não existem sequer médicos para as falhas nos Centro de Saúde em funcionamento normal, no litoral do país?
Esta reestruturação do sistema de saúde é uma fraude. O governo anda consecutivamente a enganar os portugueses e é bom que os cidadãos estejam atentos e que não silenciem os seus protestos, porque não há nada de mais condenável do que termos políticos a utilizar a saúde pública para encurtar orçamentos de estado, sob um contexto de cortinas falsas do bem servir.
Aqui, no litoral, temos provas vivas do que quero testemunhar. No concelho de Aveiro, mais propriamente na freguesia de Cacia, no passado mês de Dezembro, um dos médicos de família deixou de prestar serviço no Centro de Saúde. Até hoje cerca de 1500 pessoas estão fora do sistema, apesar dos abaixo-assinados e das inúmeras reclamações que a população, os meios de comunicação social, e a própria Junta de Freguesia têm vindo a efectuar.
Já lá vão cerca de três meses... e assinalo mais uma vez, estou a falar do litoral, do distrito de Aveiro, e de uma freguesia deste mesmo concelho! Como vamos nós acreditar no milagre da abertura com novos médicos, de 42 Unidades Básicas espalhadas pelo interior deste país? Onde estão todos estes médicos?
A semana passada, o Partido da Nova Democracia (PND) em Aveiro, endereçou uma carta ao Coordenador da Sub-Região de Saúde do Distrito de Aveiro, Dr. Humberto Rocha, solicitando uma audiência a fim de expor “em pratos limpos” a vergonhosa situação que se está a passar com a saúde, no distrito de Aveiro. Aguardamos, pois, a sua atenção, porque os protestos que nos estão a chegar todos os dias são imensos, e das recentes negociações entre as autarquias e o ministro Correia de Campos, só o Município de Espinho é que ficou contemplado no acordo com vista à manutenção do serviço de Urgência no seu Hospital, ficando de fora os serviços de Urgência dos Hospitais de Ovar, Estarreja, São João da Madeira e Anadia.
O PND em Aveiro, está ao lado da população nesta causa tão importante como é a defesa e manutenção dos direitos da saúde e tudo fará para conseguir levar junto das entidades competentes, as preocupações dos utentes, deixando desde já ao dispor de todos os que se quiserem unir a esta causa o EMAIL: saab@netcabo.pt e a MORADA do Partido da Nova Democracia em Aveiro: Rua Engº Von Haff , nº 61 – 1º A – 3800 177 Aveiro.
(publicado nas edições de hoje do Diário de Aveiro e do Democracia Liberal)

6 Comments:

At 9:43 da manhã, Blogger PR said...

No ponto, as interrogações que parecem não ter resposta. Bom dia Susana, bjinho.

 
At 8:36 da tarde, Blogger sonia r. said...

Pode ser o ínicio do fim para Socrates. Boa noite Susana. Bjinho.

 
At 8:36 da tarde, Blogger sonia r. said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 8:53 da manhã, Blogger AC said...

Olá Susana,
Nós vamos tendo o país que queremos ter, já que é o povo que elege os governantes. Se me disser que não se apresentam alternativas credíveis, estamos mais ou menos de acordo mas, é verdade que a política nacional não vai além de uma agência de empregos para os filiados partidários.
Quanto aos problemas reais, aos interesses do povo ou do país..., isso agora não interessa para nada.
Cpts

 
At 4:16 da tarde, Blogger Opintas/Bernardo said...

Boa tarde Susana.

 
At 10:05 da tarde, Blogger migas (miguel araújo) said...

Susana
Não é só o encerramento dos Centros de Saúde, das urgências ou das maternidades.
É o esvaziamento de serviços de urgência em determinados hospitais, como é o caso de algumas especialidades em Aveiro.
Quanto à falta de médicos, digo-o com coragem e sem complexos: venham mais espanhóis. Porque os de cá...
Cumprimentos

 

Enviar um comentário

<< Home