segunda-feira, novembro 20, 2006

Luto por um amigo

Até sempre Elpídio!
Devia morrer-se de outra maneira.
Transformarmo-nos em fumo, por exemplo.
Ou em nuvens.
Quando nos sentíssemos cansados, fartos do mesmo sol
a fingir de novo todas as manhãs, convocaríamos
os amigos mais íntimos com um cartão de convite
para o ritual do Grande Desfazer: "Fulano de tal comunica
a V. Exa. que vai transformar-se em nuvem hoje
às 9 horas. Traje de passeio".
E então, solenemente, com passos de reter tempo, fatos
escuros, olhos de lua de cerimônia, viríamos todos assistir
a despedida.
Apertos de mãos quentes. Ternura de calafrio.
"Adeus! Adeus!"
E, pouco a pouco, devagarinho, sem sofrimento,
numa lassidão de arrancar raízes...
(primeiro, os olhos... em seguida, os lábios... depois os cabelos... )
a carne, em vez de apodrecer, começaria a transfigurar-se
em fumo... tão leve... tão sutil... tão pòlen...
como aquela nuvem além (vêem?) — nesta tarde de Outono
ainda tocada por um vento de lábios azuis...
José Gomes Ferreira

13 Comments:

At 8:43 da tarde, Blogger a rasar o ceu said...

em fumo......se esfumam gestos e sorrisos.


fica porém o outro lado dele. de nós.



Beijos. Su.

 
At 1:32 da manhã, Blogger Cristina said...

muito interessante, lembrou-me uma historia veridica..

beijinhos

 
At 8:24 da manhã, Blogger martim said...

nestes lábios poéticos de azul. bjo.

 
At 11:00 da manhã, Blogger pintoribeiro said...

Bom dia Susana, bjinho.

 
At 12:26 da tarde, Blogger Aluada said...

Triste! :(

 
At 3:22 da tarde, Blogger hfm said...

Não conhecia e gostei desta visão poética!

 
At 5:32 da tarde, Blogger Toze said...

seria tudo bem mais facil de suportar !

beijo

 
At 12:18 da manhã, Blogger Elise said...

Perdeste alguém Susana?

 
At 10:53 da manhã, Blogger pintoribeiro said...

Bom dia e bjinho.

 
At 12:27 da tarde, Blogger mfc said...

Porque não encaramos com esta fleuma a morte?!

 
At 1:42 da tarde, Blogger veritas said...

Olá!

A morte, que fisicamente é tão fácil de compreender...o nosso corpo é como uma máquina, avaria, conserta-se...até ao dia em que já deu o que tinha a dar e lixo...é o que fazemos aos nossos electrodomésticos...mas psicologicamente...a morte é algo de tirânico, de irremediável, de irreversível, e quando as pessoas nos dizem tudo...nem vale a pena pensar nisso! Vamos é aproveiter o que temos neste momento...eu gostaria de dizer que vida/ morte são conceitos na palma das nossas mãos, mas é o contrário...é precisamente aquilo que não temos nas mãos...

Bjs.

 
At 9:38 da tarde, Blogger Mendes Ferreira said...

e pouco a pouco mas sempre cheia de muito passo por ti........só para saber que estás.





B...

 
At 9:16 da tarde, Blogger migas (miguel araújo) said...

Por uma questão de respeito por si, por solidariedade para com a família, bem longe das quezílias partidárias: os meus pêsames.

 

Enviar um comentário

<< Home