sexta-feira, junho 08, 2007

Mau Ambiente em Aveiro (II)

Não, hoje não venho falar do mau ambiente que se vive por causa do endividamento da Câmara e das empresas públicas, ou até mesmo do desconhecimento das mesmas, até porque está para hoje prometido publicamente, que a Câmara de Aveiro apresente (finalmente!) o plano de reequilíbrio financeiro com que «pretende atenuar a grave situação das contas municipais». Vamos primeiro conhecer o plano!
Hoje, dia 5 de Junho, dia em que escrevo este artigo, comemora-se o “Dia Mundial do Ambiente”. E não é que os “Dias de… “ me sensibilizem de forma especial, até porque penso que esta coisa de haver “Dia para tudo…”, começa a ser um exagero, e que de facto por vezes comemorações realmente importantes, se banalizam. É pena. Paga-se muito caro o preço do consumismo e do oportunismo político, ou melhor “politiqueiro”.
Já várias vezes escrevi sobre Ambiente porque é um tema com que me preocupo, e sobre o Ambiente em Aveiro faço-o publicamente pela segunda vez este ano. E hoje especialmente, lembro-me do Ambiente, porque no Partido da Nova Democracia (PND) estamos neste momento a organizar o “Círculo do Ambiente”, trabalho que surge por fruto de uma Moção do João Santos, doutorando em Geografia Física, aprovada por unanimidade no nosso 1º Congresso Distrital de Aveiro, realizado no passado dia 20 de Maio, sob o título «Criação do Círculo do Ambiente na Distrital de Aveiro do PND.
Apercebemo-nos que muito pouco tem sido feito no nosso distrito nos últimos tempos, em termos de melhorar o Ambiente e que muito mais há que fazer por Aveiro.
É com muito orgulho, que me vejo envolvida neste projecto e que mais não pretendemos demonstrar, como vem sendo hábito, que o PND em Aveiro sabe passar da teoria à prática. Não se evidencia como mais um partido demagógico, mas sim como um partido que vai de encontro com o que realmente preocupa as populações. Já saímos para o terreno e estamos a fazer trabalho de campo com recolhas fotográficas de águas de esgotos a céu aberto, para podermos denunciar e com amostras de águas de fontes de águas ditas potáveis para análise, pelo facto de não apresentarem fiscalizações regulares e em dia, tal como é previsto.
Muitas outras acções estão já programadas e disso iremos dando conta, porque infelizmente o nosso distrito é lamentavelmente próspero em fenómenos de incumprimento ambiental e de desrespeito pela natureza. Desde as praias à floresta, do mar à ria e aos rios, do ar que respiramos, de norte a sul do disrito, Aveiro necessita de muita atenção e vigilância, e por vezes nem é a falta de dinheiro para investir no Ambiente que serve de desculpa, e infelizmente e tão só, a falta de civismo e de educação com que nos deparamos.
(publicado nas edições de 4ª feira do Diário de Aveiro e do Democracia Liberal)

6 Comments:

At 10:26 da manhã, Blogger C Valente said...

As Camaras Municipais andam de tanga, os autarcas de fatinho,
o "guito,cacau dinheiro" esse voou
obras só algumas e de fachada isto é quase por todo o país

 
At 10:31 da manhã, Blogger PintoRibeiro said...

E não só...bom fim de semana, um bjinho Susana.

 
At 6:01 da tarde, Anonymous Anónimo said...

boa

 
At 1:30 da manhã, Blogger Terra & Sal said...

Olá Susaninha:

Interessante o V/ projecto e intenções sobre o ambiente a nível local e regional.
Penso que o nosso distrito, pior a norte, está uma desgraça. É uma coisa de que efectivamente todos falam, alguns, nem sequer sabem muito bem o que isso é e o que comporta, mas de qualquer maneira ainda são poucas as pessoas que se interessam verdadeiramente pelo ambiente nas suas várias vertentes.

É preciso arrancar, tentar sensibilizar, apontar e denunciar o que vai mal. Tenho de lhe manifestar a minha satisfação pela iniciativa.
Já sabe o que penso:
Nada de comodismos. Sem trabalho nada se consegue, e ele, compensa sempre, embora muitas vezes não pareça, e até se sinta desanimo. Tem de haver coragem sempre,que não é mais que tal força anímica, e convicção.

Ao desenvolver esse trabalho tente “conversar” com as freguesias, com as pessoas, elas são muito importantes para tudo, mas têm de ser conquistadas todos os dias, todos os anos, sempre.

Não se pode deixar tudo para o fim, para a "última hora" e depois, ir a correr com um frasco do xarope curar de um dia para o outro, o que deveria ter sido feito desde sempre, com calma, e paulatinamente, gota a gota.

Não se esqueça que a quero ver na pior das hipóteses, na Assembleia Municipal, e para começar, penso que, não era mau para o PND.
Bom trabalho.
Beijinhos e bfs

 
At 6:32 da tarde, Blogger Opintas/Bernardo Kolbl said...

A ver as novidades,
bom fim de semana.

 
At 12:04 da manhã, Blogger martim de gouveia e sousa said...

usado e abusado, que ambiente nos resta? bjo.

 

Enviar um comentário

<< Home