domingo, fevereiro 04, 2007

O Embuste do Referendo

1. Existirá alguma razão para as perguntas nos referendos não serem simples e directas? O que leva a classe política a confundir, a complicar, a transformar em difícil, o que deve ser simples e de fácil compreensão? Há razão ou razões, para isso? E o que levará a mesma classe política que produz ou pactua com as ditas perguntas complexas e estranhas à compreensão de qualquer português médio, a falar da necessidade de aproximar o sistema dos cidadãos, a criticar e condenar as soluções que ela própria engendrou? É normal que mais de metade da campanha sobre o referendo de dia 11, esteja a incidir sobre o esclarecimento quanto ao sentido da pergunta?
Continue a ler, por Manuel Monteiro, no Democracia Liberal

5 Comments:

At 9:14 da manhã, Anonymous Anónimo said...

obrigada!!!!!!!!!!!!!!

_________________________.






Tu.





beijo.




Su.




Y.

 
At 10:32 da tarde, Blogger Afonso said...

Para quê tudo isto?
Boa semana ...

 
At 10:38 da tarde, Blogger AC said...

É normal..., neste sítio, é normal. Estamos no Carnaval, não é?

Cpts

 
At 3:25 da tarde, Blogger Opintas/Bernardo said...

Cumprimentos da família PR. O primo.

 
At 12:43 da manhã, Blogger martim de gouveia e sousa said...

o idiolecto político é assim. bjo.

 

Enviar um comentário

<< Home