sexta-feira, maio 12, 2006

O Direito de Nascer em Portugal

Por Jorge Ferreira, no AVEIRO
Pelo andar da desajeitada carruagem socialista, qualquer Constituição portuguesa que se preze, terá de passar a ter um artigo primeiro onde se consagre o elementar direito de nascer em Portugal.
Vamos por partes. A política de natalidade é certamente uma das mais sérias de que Portugal precisa. E não precisa hoje. Precisa há muitos anos e nunca nenhum Governo entendeu assumi-la ou perder tempo com assunto tão pouco mediático e interessante para as agendas do dia. É ver como Cavaco Silva decidiu inaugurar o seu mandato presidencial visitando o Hospital D. Estefânia e a ninguém ocorreu, nem ao Presidente, chamar a atenção ou sequer produzir um assomo de debate sobre o assunto.
A política de natalidade é daqueles assuntos a que o país só liga quando sente na pele as consequências de não a ter tido em momento azado e oportuno, para evitar esses problemas.Sou favorável a políticas de natalidade que visem o aumento da população. Por várias razões. Sociais, económicas e políticas. Não há Estado sem gente. Não há Estado independente sem economia. Não há economia sem trabalho. Não há trabalho sem investidores, trabalhadores e consumidores. O equilíbrio social depende muito do desenvolvimento familiar, o qual por sua vez é determinante para a economia.
Esta é uma posição de princípio. Vejamos as políticas.
Os socialistas decidiram penalizar as reformas de quem não tiver filhos ou de quem tiver menos filhos. Julgam assim incentivar a natalidade. Julgam assim motivar os futuros beneficiários da segurança social na qualidade de pensionistas a procriar em maior quantidade. Duvido que consigam. Não estou a ver um cidadão fazer contas aos trinta anos para saber quantos filhos necessita de ter para alcançar a reforma no montante desejado.
Mas há pior: o Governo gera assim uma inqualificável discriminação entre os portugueses, aliás, de duvidosa constitucionalidade. Há quem não tenha filhos porque não pode e há quem não tenha filhos porque não pode. Em ambos os casos, o Estado não tem nada a ver com isso. E é imoral penalizar uma vida de trabalho e de esforço contributivo para a segurança social, remunerada com uma pensão quando chegar o momento, pelo facto de não se ter tido a vocação ou a possibilidade da reprodução ao longo da vida.
O reconhecimento do esforço dos cidadãos para a natalidade deve ser feita sim por via fiscal. Não me repugna que quem tem mais filhos possa beneficiar de mais deduções fiscais. É até bastante razoável e compreensível.
O curioso deste afã procriador governamental é que ao mesmo tempo, o Governo, o mesmo, quer poupar nas maternidades e decidiu fechar umas quantas, remetendo as respectivas Clientes para o estrangeiro, em alternativa, para uma espécie de turismo obstetra interno. De terra em terra para dar à luz, poderia ser o slogan desta campanha. Ou então dê novas vidas à vida pelo nosso Portugal adentro.
Isto é, por um lado o Governo está pronto a prejudicar imoralmente quem não quer ter filhos, mas por outro lado dificulta a vida a quem os quer ter, desde que, evidentemente, não os queira ter nas áreas metropolitanas. E depois, o resultado é a importação de brasileiros para povoar o interior.
Desculpem, caros leitores, mas este Governo é um enigma. O problema é que é um enigma que faz mal à saúde.
(publicado na edição de hoje do Diário de Aveiro)

6 Comments:

At 11:49 da manhã, Blogger Terra & Sal said...

Susana:
Como não há comentários, é sinal de que o "pessoal" está de acordo com a lei.

Depois é sempre questionável:
Para se ser português temos de nascer cá, ou de ser-se feito cá?

Bjinhos e bfs

 
At 6:31 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Looks nice! Awesome content. Good job guys.
»

 
At 6:41 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Hi! Just want to say what a nice site. Bye, see you soon.
»

 
At 2:12 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Really amazing! Useful information. All the best.
»

 
At 1:24 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Looking for information and found it at this great site...
Game matching battery Computer desks with workspace and cpu hidden saab turbo Philadelphia tennis stationary batteries panasonic phone batteries p p511 tony bentley

 
At 4:40 da manhã, Anonymous Anónimo said...

I have been looking for sites like this for a long time. Thank you!
»

 

Enviar um comentário

<< Home