sábado, abril 08, 2006

Céu Azul

As Amoras

O meu país sabe às amoras bravas

no verão.

Ninguém ignora que não é grande,

nem inteligente, nem elegante o meu país,

mas tem esta voz doce

de quem acorda cedo para cantar nas silvas.

Raramente falei do meu país, talvez

nem goste dele, mas quando um amigo

me traz amoras bravas

os seus muros parecem-me brancos,

reparo que também no meu país o céu é azul.

Eugénio de Andrade

("O Outro Nome da Terra")

9 Comments:

At 11:12 da manhã, Blogger spartakus said...

luminoso o estaminé hoje...b'dia Susana, bjinhos.

 
At 1:45 da tarde, Blogger RM said...

Lindo!

 
At 11:11 da manhã, Blogger spartakus said...

b'domingo, bjinhos, Susana.

 
At 1:00 da tarde, Blogger hfm said...

O que dizer? quando fala Eugénio e logo este poema...

 
At 3:09 da tarde, Blogger Terra & Sal said...

Gosto requintado o seu Susana.

Uma linda homenagem a um Grande vulto da nossa cultura, Eugénio de Andrade.
Gosto de ler através das suas palavras "pobres" a riqueza duma nobre e grande alma.

Depois recordo com saudade e nostalgia, a poesia que era apanhar amoras pelos silvados.

Bolsos carregados, tingidos de "vinho", chegava-se a casa e numa "malga" pisavam-se, bebendo e dando a beber aos amigos e amigas, até ficarmos de "beiça" roxa, "encharcados e bêbados daquele vinho".

Bons tempos esses.
Beijinho para si,
Terra & Sal

 
At 2:13 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

 
At 6:32 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Great site lots of usefull infomation here.
»

 
At 2:13 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

 
At 1:19 da manhã, Anonymous Anónimo said...

best regards, nice info » » »

 

Enviar um comentário

<< Home