quinta-feira, dezembro 15, 2005

Água-cor

O País da Cor é líquido e revela-se
na anilina dos vasos de farmácia.
Basta olhar, e flutuo sobre o verde
não verde-mata, o verde-além-do-verde.

E o azul é uma enseada na redoma.
Quisera nascer lá, estou nascendo.
Varo a laguna de ouro do amarelo.
A cor é o existente; o mais, falácia.

Carlos Drummond de Andrade

8 Comments:

At 7:28 da tarde, Blogger deumus said...

Boa noite, Susana.

 
At 10:01 da tarde, Blogger mfc said...

Todo o sentimento e estado de alma é assimilável a uma cor!

 
At 3:31 da manhã, Anonymous Luís said...

O grande Drumond,de quem aprendi a gostar...

 
At 12:10 da tarde, Blogger Mendes Ferreira said...

Para mim que só te adivinho....tu és Agua....e cor.
beijos Susana.

 
At 12:54 da tarde, Blogger Rosario Andrade said...

BOM DIA!
Nao conhecia este do CDAndrade... e mistura cores com vasos de farmacia... hmmmm, perfeito!

Abracicos!

 
At 3:06 da tarde, Blogger deumus said...

Boa tarde Susana. bj.

 
At 5:13 da tarde, Blogger hfm said...

De Matisse a Drummond um mundo onde os olhos se pacificam.

 
At 10:48 da manhã, Anonymous Anónimo said...

That's a great story. Waiting for more. American cancer society on quit smoking Zyban drug http://www.erectile-dysfunction-aids.info/cheapcallstanzania.html Gregory internal frame backpacks

 

Enviar um comentário

<< Home